Zets Run Team: Fevereiro 2013

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Equipe de corrida e o trabalho em equipe

Ao iniciar este post refleti sobre a importância, que os gerentes têm em montar uma equipe competitiva para atuar em um mercado cada vez mais globalizado.

A habilidade de trabalhar em conjunto tornou-se uma competência essencial. Para uma empresa comprometida com resultados e otimização de recursos, o pior que pode acontecer é ter funcionários individualistas e não colaborativos, por isso prefiro chamá-los de colaboradores ao invés de funcionários ou empregados.

A característica principal de uma equipe, é que nela todos os integrantes possuam um objetivo em comum e dependam um dos outros para atingi-lo. É preciso que haja a ideia de um “espírito de equipe”, que cada integrante deve saber qual é a sua atuação, mas sempre considerando o todo e colaborando com idéias e sugestões para o alcance dos objetivos.

Contudo, um bom resultado também está condicionado a alguns fatores, entre eles: ter objetivo claro a ser cumprido, estabelecer metas, possuir uma comunicação transparente, cooperação e execução. Se houver falha em algum desses fatores, e esta não for corrigida a tempo, ela poderá aparecer no resultado final podendo prejudicar o todo.

A melhor motivação que um gestor pode dar a uma equipe é estar junto e ajudá-la no dia a dia. A equipe precisa confiar e acreditar nele, pois somente assim ele irá conseguir motivá-la de verdade. E uma equipe bem estruturada produz resultados de alta qualidade, levanta a produtividade e inspira comprometimento. Uma das melhores maneiras de incentivar o crescimento e o progresso é celebrando resultados. O prêmio em si não é tão importante quanto o reconhecimento manifestado por um gestor a um trabalho bem feito. Isso motiva e une toda a equipe.

Antes se tornar gestor, tive a sorte de fazer parte de uma pequena equipe com todas estas características necessárias para obter resultados com otimização de recurso, eramos assim empiricamente e não acreditávamos como todos os sistema que construímos e suportamos funcionavam e funcionam até hoje, após mais de uma década, e acreditem temos grande parte da mesma equipe inicial, que obviamente com o apoio da diretoria nos permitiu uma gestão colaborativa. 

Ao me tornar gestor, juntamente com a pessoa que considero meu mentor consegui enxergar a importância do compartilhamento das informações fazendo com que as pessoas se sentissem parte do processo provocando uma conquista natural do comprometimento sem a necessidade de uso da força bruta. Ele, meu mentor, sempre fez isso. 

Por isso reter informações só faz proporcionar a falta de comprometimento e é um dos grandes problemas dos chefes centralizadores que de fato pode mandar, mas jamais conseguirão o comprometimento “mágico”, quando um colaborador é capaz de fazer doar o máximo de si por uma causa. Outro ponto importante do compartilhamento é a participação com novas idéias, muitas vezes diferentes da visão original e que pode resultar em um produto inovador.

O maior medo da gerência tradicional é que cedendo espaço e informação estará perdendo seu poder. Acredito ser esse um pensamento primitivo, pois se você não inovar será substituído de qualquer jeito. 

Aproveito para escrever este parágrafo em agradecimento ao Sr. Rafoul Marcos, meu mentor e vice presidente da empresa. Sempre o considerei uma pessoa à frente de seu tempo sempre nos ensinado como "pensar fora da caixa" sem perder o foco. Agradeço também o Sr. Clement Aboulafia, presidente da empresa, um excelente orador, que me ensina muito sobre a questão motivacional e o poder da fala. E por ultimo mas não por isso menos importante ao Sr Marcelo Copeliovitch, meu diretor que sempre acreditou em nós, delegando toda parte do desenvolvimento de software da empresa, dando total liberdade para escolha da metodologia, tecnologias, etc... 

A afinidade entre os colaboradores sempre foi muito forte, antes mesmo de formar a equipe de corrida da Zets, já tínhamos varias equipes esportivas, alguns praticando academia juntos, outros praticando Krav-Maga, outros jogando futebol e outros simplesmente saindo para balada juntos. Isso tudo certamente é fruto do comprometimento e laços criados dentro do ambiente organizacional.  

A equipe de corrida da Zets foi uma ideia que tive junto com o Richard, meu braço direito na gestão colaborativa, ao vermos nas corridas muitas pessoas com camisetas de equipes corporativas. Então pensamos "vamos fazer na Ezconet". Na verdade a rede de franquias Zets, é mais uma empresa do Grupo Ezconet S/A, e resolvemos adotar este nome por questões de marketing. Após algumas leituras chegamos a conclusão que o esporte coletivo corporativo fortalecer as relações interpessoais, melhorar o ambiente de trabalho, além de diminuir o estresse e aumentar a produtividade. Ou seja é o TRABALHO EM GRUPO.

Sou praticante de Krav-Maga, juntamente com o Tie, meu braço esquerdo na gestão e parceiro de treino desta arte de defesa pessoal que tive o prazer de conhecer a 6 anos atras e continuar apaixonado por ela. 

Certa manhã cheguei na empresa e o Tie falou, a turma do Krav vai participar de uma corrida de aventura, a HERO CROSS OBSTACLES RACE, e ai vamos? 

Na hora respondi: Claro! E rapidamente efetuei a inscrição.

Neste dia a equipe de corrida cresceu com a entrada do Tie. Com ele veio o Daniel Alós, que tem um preparo físico excelente devido a prática constante de futebol e musculação, e também se inscreveu para a prova. O Daniel e o Kaká jogam futebol juntos e a entrada de ambos na equipe não foi muita novidade. A novidade foi o Kaká aceitar o desafio dos 14.2k em Bertioga Maresias, sendo que sua primeira prova de 10k foi no dia 25 de janeiro, há menos de um mês! O Dudu ou Doodle (como o chamamos devido ao tamanho conhecimento em tecnologia) relutou em participar da equipe pois já não corria há algum tempo. Mas com a insistência do grupo, voltou a correr e encarou os 10K de 25 de janeiro com o Kaká e se inscreveu no revezamento dos 75k. Neste momento a equipe já estava em 8 pessoas, e crescendo...


Mauro, Richard (Rixi), Bruno (Kaká),  Eduardo Pereira (Dudu), Tie, Daniel Alós, Milena (esposa do Rixi) e Lúcia (minha esposa). A Zets Run Team estaria preparada para o revezamento dos 75K Bertioga Maresias. Mas infelizmente, sem o Tie e Lúcia, ficamos desfalcados. Mas não por muito tempo, prontamente um casal de amigos que correu a prova noturna de aventura X-Terra Ilha Bela no ano passado comigo e com a Lúcia, aceitaram completar a equipe. Bem vindos ao time Cristina e Nico!  

Durante nossas férias de 2012 eu e a minha esposa, quase fizemos uma prova de obstáculos em Orlando nos EUA, a "Prison Break Mud Run Orlando", só não fizemos por uma questão de calendário e logística.

A Lucia, minha querida esposa e amante da corrida, que atualmente está afastada das corridas em função da nossa segunda gravides, sugeriu que fizéssemos uma prova desafiadora de revezamento. Dela que surgiu a ideia de fazermos a prova de 75 km - Bertioga - São Sebastião - Maresias. Que ao receber um Email da prova, encaminhou a mim falando o seguinte: "Eu acho que em maio vocês deveriam fazer Bertioga Maresias. É na natureza, requer estratégia, espirito de equipe." Ela prontamente se colocou a disposição como equipe de apoio, e mais que isso se tornou uma especie de coach já que não pode participar como atleta. 

A principio refutei, mas depois percebi a importância da prova, do comprometimento da equipe, das metas, enfim de tudo que a gestão 2.0 sempre nos proporcionou. Ora porque não colocar em prática fora da empresa!?!

No dia seguinte enviei um Email para equipe Zets Run, lançando o desafio... e por incrível que pareça o desafio foi aceito. 

Chegando em casa, sentei com a Lucia e começamos montar a estratégia da equipe, pace, esforço. Pensaremos posteriormente no apoio, quando então será fundamental a participação e experiência da amiga da Lúcia, Carina. Ela já fez esta prova 2 vezes, tanto na equipe quanto no suporte. Era para a Lúcia estar treinando para a maratona este ano junto com a Carina, mas vai ficar para 2014/2015, quando carregaremos a Maluzinha (nossa filha querida de 6 anos) e o futuro bebê que está a caminho. 

Bom até o momento temos a seguinte equipe e estratégia, que poderá mudar conforme os treinos.







Agora é só começar a treinar e ajustar se necessário.

O desafio está lançado, vamos TIME!!!!